Ruturas e agora?

No artigo anterior referimos as causas mais comuns para a ocorrência de ruturas, se não conseguiu evitar que essas ocorressem, este artigo é para si!

Nos casos em que as ruturas ocorrem parece óbvio que a solução seria aumentar o stock de segurança pois, hipoteticamente, se há mais stock de segurança haverá menos riscos de ruturas. Contudo, isto não é necessariamente verídico, aumentar o stock de segurança não implica, necessariamente, um decréscimo a nível das ruturas. Aumentar os níveis de inventário é uma “solução” rápida para um problema maior no âmbito da gestão de inventários. É necessário avaliar os processos da empresa e verificar a falhas ao nível da cadeia de abastecimento.

Aqui, damos 4 dicas para ajudar a diminuir as ruturas:

1.Eliminar incerteza

Um dos maiores contribuidores para as ruturas é a incerteza relacionada com tempos de aprovisionamento longos e com a previsão inadequada da procura. Tempos de aprovisionamento mais curtos melhoram a eficiência da empresa na medida em que permite um recebimento e envio de pedidos mais rápido. Além disso, reduz a quantidade de inventário necessária, poupando custos de manter excesso de stock. A previsão de procura também ajuda a reduzir as ruturas, pois a previsão de procura a curto-prazo proporcionar-lhe-á melhores previsões da procura aumentando a precisão da empresa ao encomendar stock. 

2. Gestão de Inventário

Ter controlo do inventário é crucial para se salvaguardar das ruturas. É de extrema relevância ter um sistema de gestão de inventáios que lhe proporcione a visibilidade dos níveis de inventário de forma a que possa determinar quando há necessidade de reabastecimento.

3. Planeamento de Produção

O planeamento da produção é uma componente importante ao nível das ruturas que é, diversas vezes, ignorada. O agendamento assegura que não irão ocorrer falhas no fluxo das linhas de produto. Desequilíbrios ao nível da produção dificultam a produtividade e performance da empresa. Identificar e prevenir, ativamente, estas questões diminui as ineficiências que podem causar ruturas.

4. Métricas de performance

As métricas de performance podem ajudar a melhorar a experiência do consumidor, eficiência, rentabilidade e a performance geral da empresa. A empresa deve identificar que métricas quer priorizar de modo a que sejam efetuadas melhorias nas áreas mais fracas do ciclo de produção, assegurando-se que as métricas em que se está a focar não estão a contribuir para as ruturas.

Mas afinal porque ocorrem Ruturas?

Muitas vezes os clientes chegam às lojas com o intuito de comprar determinado produto e deparam-se com a realidade de que o mesmo se encontra esgotado. Esta questão além de ser um incómodo para os clientes, é um problema para as marcas uma vez que significa perda de vendas para as mesmas. Mas afinal quais são as razões que levam às ruturas de stock?

Stock de cobertura

Uma das causas das ruturas reside no stock de cobertura. Isto ocorre quando a equipa comercial na definição do volume de compras não considera o stock de cobertura para as categorias em que o prazo de entrega por parte dos fornecedores é maior, resultando em ruturas.

Ruturas anteriores

Por vezes, o pedido de compra é calculado com base em apenas o histórico de vendas, não tendo em consideração as ruturas ocorridas previamente. Neste sentido, não é considerado o que não foi vendido o que, consequentemente, dará origem a uma nova rutura.

Impacto das promoções

Outra causa comum das ruturas traduz-se na falta de dados acerca do impacto das promoções. Quando a marca líder reduz significativamente o preço, ocorre uma migração do consumo das marcas concorrentes para a mesma. Posto isto, verifica-se um aumento nas vendas da marca líder que não é considerado quando se faz o pedido novamente, originando ruturas.

Reposição automática

A reposição automática sem ter um sistema eficiente de sincronização de dados também pode ser uma causa de rutura. Isto causa divergências na informação, o que consequentemente atrasará a saída de novos pedidos.

Sistema integrado de gestão

Outra causa de ruturas pode ter origem na falta de um sistema de gestão (erp) que sincronize todos os dados de todos os setores: frente de loja, centros de distribuição, compras, etc.

Identificação de divergências

A inexistência de processos que identifiquem divergências ao nível do stock físico e no âmbito do que está no sistema podem originar ruturas.

Excesso de SKU’s

A origem das ruturas, também, pode residir no excesso de SKU’s que, por sua vez, dificulta a gestão do responsável, que não consegue acompanhar todos os produtos que estão ao seu cargo.

Agora já está especialista em ruturas!