Primeiras Impressões no Recrutamento

Estudos sugerem que cerca de 33% dos empregadores tomam a decisão de recrutar ou não nos primeiros 90 segundos de interação com o candidato. É verdade, pode parecer surpreendente, mas as primeiras impressões contam e em diversas instâncias podem ser um verdadeiro deal breaker.

Pouco contacto visual

Um dos erros mais comuns nas entrevistas é não fazer contacto visual, ou pelo menos, não o suficiente. Falta de contacto visual transmite a ideia de que está desinteressado ou a mentir. Isto não significa que tem que estar a olhar fixamente para o recrutador, significa apenas que tem que manter um certo nível de contacto visual, uma vez que demonstra envolvimento e confiança.

Não ter conhecimento acerca da empresa

Uma das primeiras questões que os recrutadores costumam fazer é “O que é que sabe acerca da empresa?”. Se não estiver preparado para esta questão, está a destruir a sua primeira impressão. Uma resposta como “não sei” ou “espero aprender se for o candidato selecionado” só demonstra que não se preparou para a entrevista. Faça o seu trabalho e investigue a empresa e a sua concorrência.

Aperto de mão

Pode parecer algo não importante, mas o aperto de mão é uma das questões mais relevantes ao nível da primeira impressão. É uma das primeiras interações e transmite algo acerca do seu carácter. Deve ter um aperto de mão firme mas gentil e não deve ser apressado.

Vestuário inapropriado

O vestuário é importante para a primeira impressão. É um dos primeiros aspetos que o recrutador repara. O vestuário apropriado, normalmente, está de acordo com o dress code da empresa. Este dress code pode variar de acordo com o setor em que a empresa atua, por isso, tente investigar isso. Algo que deve evitar é utilizar perfumes com fragrâncias muito intensas e muita bijuteria.

Linguagem corporal inquieta

Muitos candidatos mostram certos “tics” durante as entrevistas. Estes podem ser mexer constantemente no cabelo ou cruzar os braços, por exemplo. Deve-se evitar esta linguagem corporal inquieta que sugere nervosismo. Podemos não nos aperceber mas os recrutadores já estão mais do que habituados a detetar estes aspetos. Deve tentar corrigir os mesmos.

Sorriso

Um dos aspetos mais relevantes numa entrevista é sorrir, é importante fazê-lo, pelo menos, ocasionalmente. Por vezes, os candidatos estão tão focados em dar as respostas corretas que se esquecem das expressões faciais. Ao sorrir está a transmitir que é uma pessoa amigável e recetiva e mostra entusiasmo, isto é bastante relevante porque os recrutadores querem saber até que ponto é que está entusiasmado com a empresa. Sorria mais!

 

Nervos nas Entrevistas

A entrevista, o pior pesadelo do candidato…

“Consegui a oportunidade de ir à entrevista e, se não conseguir e se me esquecer de algo importante?

Esta linha de pensamento é muito comum em vários candidatos e é perfeitamente natural, alguém vai estar a avaliar o seu percurso, os seus maneirismos, a sua aparência, o que diz e a forma como diz, entre outros aspetos. Mas a entrevista não é o monstro que todos fazem parecer e há mecanismos para ultrapassar esses nervos pré-entrevista.

Eles já gostam de si

Em primeiro lugar, como candidato deve interiorizar que se o chamaram é por algum motivo, alguma coisa no seu percurso impressionou o recrutador e, por isso, é que conseguiu a entrevista. Tente focar-se que alguma coisa fez de bem e não no facto de poder não causar boa impressão.

Prepare-se

Como diz o velho ditado “mais vale prevenir que remediar” e nesta situação em concreto é bem verdade. A preparação é extremamente relevante porque os problemas surgem quando os nervos começam a afetar a confiança que temos em nós próprios e, a preparação é um grande auxílio nesse aspeto. Faça uma boa pesquisa acerca da empresa recrutadora e reveja bem as funções que são pedidas para a posição, assim garante que está preparado.

Isto não é um interrogatório

Um hábito dos candidatos é olharem para a entrevista como se fosse um interrogatório. Ai, ai… isso só o ajuda a ficar mais nervoso. Na verdade, uma entrevista não é nada mais do que uma simples conversa. O objetivo é que aja naturalmente e que não pareça uma máquina automática com respostas memorizadas. Memorizar certas questões não é uma boa técnica porque se lhe fizerem uma questão de que não está à espera vai ficar ainda mais nervoso. Por isso, o melhor é agir de forma natural e pensar na entrevista como uma conversa entre duas ou mais pessoas.

O recrutador também é humano

Desta não esperava não é? Mas pode acreditar, o recrutador também é um ser humano e, possivelmente, ele também pode estar nervoso. O recrutador compreende que como seres humanos não somos perfeitos e que, por isso, cometemos erros e nem sempre dizemos o mais acertado porque nas entrevistas é normal haver um certo nível de nervos.

As perguntas mais complicadas

Naturalmente, por vezes, surgem algumas questões mais complicadas, vá com uma natureza mais delicada e, que nesse sentido, poderão suscitar mais nervos. Este tipo de questões podem ser questões como “Porque foi despedido?”. O ideal é dar uma resposta honesta e que não deixe muitas dúvidas, para poder desviar-se do assunto, uma boa solução poderia ser dizer que as suas competências não eram as mais indicadas para a função que teve anteriormente mas que se enquadram bem com a que a empresa recrutadora está a procurar, por exemplo.

 

Agora, já está especialista em entrevistas, inscreva-se na exceder!